Portugal e a energia eólica

Helena Simões
Imprimir
Texto A A A


O Grupo EDP (ENERNOVA) planeia expandir o seu investimento na energia eólica com a instalação de parques nas Serras da Lousã, Barroso, Pedrela e Montemuro. O projecto de instalação, durante o ano de 2000, de um parque na Serra do Açor (20 MW), sofreu um revés devido ao parecer desfavorável da Direcção Regional do Ambiente do Centro, estando neste momento a ser reconfigurado.

De igual modo, em Espanha, onde a implementação destas estruturas registou um aumento de 77% em 1999 (450 MW em 1997, 2046 MW em 2000), a contestação por organizações ambientalistas e associações locais tem vindo a aumentar.

Torna-se premente o desenvolvimento de técnicas que possibilitem a avaliação de todos os factores condicionantes à expansão destes projectos, em detrimento das abordagens parciais que se têm realizado, assim como a divulgação pública destes estudos, não se confinando aos seminários realizados para os especialistas da matéria. Uma opinião pública esclarecida contribuirá decisivamente para uma maior aceitação destas novas tecnologias.

O papel dos Sistemas de Informação Geográfica (SIG) e da Investigação no aproveitamento da energia eólica

Os SIG têm um papel fundamental no dimensionamento e implementação dos projectos de parques eólicos. A determinação destes locais compreende o levantamento de numerosos parâmetros técnicos, sociais e ambientais. Assim, é necessário avaliar o potencial eólico da zona (dados meteorológicos, cartográficos: relevo e rugosidade), identificar as constrições técnicas (distância à rede, acessos, servidões públicas, etc.), ambientais (paisagísticas, zonas protegidas, de interesse florístico, faunístico, etc.), arqueológicas, hidrológicas, geológicas, de impacte sonoro e sócio-económicas (actividades económicas, tipo de propriedade, etc.).

Curvas de iso-potencial eólico

 

 

 

 

 

 

 

Os SIG permitem responder a questões globais: Onde se localizam as zonas mais ventosas (por exemplo, com um potencial eólico superior a 400W/m2), a menos de 1 Km de uma estrada, a menos de 1 Km da rede, fora de zonas protegidas e a mais de 350 m de habitações?; ou locais: Quais são os impactos do projecto sobre a paisagem ou o ruído?

Comentários

Newsletter