Uma visita à Tapada de Mafra

Miguel Monteiro
Imprimir
Texto A A A

Uma visita à Tapada de Mafra permite combinar o prazer de observar espécies animais que são normalmente difíceis de encontrar, uma flora e paisagem muito interessantes e ainda visitar dois museus. Acompanhe-nos nesta visita virtual e depois vá até lá.

 

Como o próprio nome indica, a Tapada de Mafra trata-se de uma área murada, mandada construir por D. João V como parque adjacente ao Convento de Mafra. A Tapada serviria como local de lazer e como fonte de produtos naturais. Em 1748 concluiu-se a fase de obtenção dos terrenos tendo então sido mandado construir um muro com 21 Km que encerrava uma área de aproximadamente 1.187 hectares. Actualmente a Tapada tem uma área de 819 ha e a Escola Prática de Infantaria e o Centro Militar de Educação Física e Desportos ocupam os restantes 360 ha.

A Tapada de Mafra proporciona a quem a visita um contacto lúdico, educativo e íntimo com a Natureza.

O percurso começou junto à bela Ribeira do Safarujo, tendo logo avistado, no cimo de um monte, um veado Cervus elaphus macho que rapidamente desapareceu entre os matos. Mais à frente, alguns gamos Dama dama comiam descansados, tendo sido incomodados pela minha presença, e também eles seguiram o seu caminho. Para lá do contacto com os animais, a beleza da Tapada surge ao longo de todo o passeio através da sua vegetação luxuriante, das vistas dos vales e dos planaltos, dos caminhos frescos que parecem túneis esculpidos na vegetação.

Ao chegar ao primeiro cercado, já me tinha cruzado com veados, gamos, pombos-torcazes Columba palumbus, piscos-de-peito-ruivo Erithacus rubecula, melros Turdus merula, lagartixas-do-mato Psamodromus algirus, lagartos Lacerta lepida e uma grande variadade de espécies de árvores, identificadas com o seu nome comum, o nome científico e a origem. O mesmo acontece nos cercados em relação aos animais (aqui não está mencionada a origem mas se a espécie existe em cativeiro e liberdade na Tapada).

Comentários

Newsletter