Ficha da Salamandra-comum

Rui Braz e Maria João Cruz
Imprimir
Texto A A A

As salamandras-comuns são atraentes anfíbios, comuns nas zonas mais húmidas e frescas do nosso País. Muitas vezes associadas a velhas crenças populares, são animais muito interessantes com algumas características peculiares e podem viver até aos 30 anos.

 

 

 

IDENTIFICAÇÃO E CARACTERÍSTICAS

A salamandra-comum Salamandra salamandra é um urodelo (anfíbio com cauda) que pode chegar aos 30 cm de comprimento. O adulto tem tipicamente cor de fundo negra e manchas ou bandas amarelas com disposição e abundância muito variáveis. Os padrões apresentados por cada salamandra são únicos, tal como as impressões digitais nos humanos. Os machos apresentam os lábios cloacais mais proeminentes e em geral corpo mais delgado e membros mais compridos. Tal como todos os anfíbios, as salamandras passam por um estado larvar, adaptado à vida aquática. A transição para o ambiente terrestre dá-se através de uma metamorfose. As larvas têm aproximadamente 1/6 do comprimento das salamandras adultas. Têm brânquias plumosas que são tanto mais desenvolvidas quanto menor for a concentração de oxigénio dissolvido na água. A característica distintiva destas larvas é a existência de uma mancha clara na zona da inserção de cada membro com o tronco. Pouco antes de se metamorfosearem algumas larvas já apresentam manchas amareladas que contrastam com o fundo mais escuro, nesta fase assiste-se também a uma redução acentuada do tamanho das brânquias.

DISTRIBUIÇÃO E ABUNDÂNCIA

A distribuição deste anfíbio é muito ampla, abrangendo toda a área entre o norte de África (Marrocos e Argélia) e o norte da Alemanha e entre a Península Ibérica e o Irão.

Comentários

Newsletter