Flora de São Tomé e Príncipe

Renata Alves*
Imprimir
Texto A A A

Estas duas ilhas do Golfo da Guiné apresentam características naturais que permitem o aparecimento e desenvolvimento de grande variedade de espécies vegetais, constituindo verdadeiras relíquias ao nível da flora.

1. As ilhas e os endemismos

As quatro ilhas do Golfo da Guiné - Bioko (também conhecida por Fernando Pó), Príncipe, São Tomé e Annobon (ou Pagalú) - são ilhas vulcânicas localizadas sobre a linha dos Camarões, uma linha de actividade vulcânica, com cerca de 2000 km de comprimento, que inclui ainda o Monte Camarões, no continente.

A ilha de Bioko encontra-se na plataforma continental, existindo entre ela e o continente uma distância de cerca de 40 km. Pensa-se que esta ilha estivesse ainda ligada a África na última era glacial (há cerca de 10 mil anos), o que explica o facto de a sua flora ser muito similar à do continente.

A ilha de Annobon, por outro lado, encontra-se bastante afastada do continente (cerca de 350 km), possuindo já características de ilha oceânica. Segundo a teoria da biogeografia das ilhas, a riqueza de espécies de uma ilha depende da distância da mesma ao continente, pelo que as ilhas mais afastadas tendem a possuir uma flora e fauna mais pobres, por ser difícil a propagação a partir do continente. Isto verifica-se, de facto, para a ilha de Annobon, que apresenta uma flora mais pobre.


São as ilhas de São Tomé e Príncipe que possuem uma maior riqueza na flora, já que não se encontram tão distantes do continente (dificultando a propagação de espécies), nem tão próximas (e, floristicamente, fazendo parte do continente), proporcionando o aparecimento de muitas espécies endémicas (espécies existentes apenas nesse local). De facto, São Tomé apresenta uma taxa de endemismo (número de espécies endémicas relativamente ao número total de espécies) de 15,4% e o Príncipe de 9,9%, em contraste com as ilhas de Bioko e Annobon, com taxas de 3,6% e 7,7%, respectivamente. Verifica-se que cerca de 100 espécies vegetais endémicas das ilhas do golfo da Guiné estão presentes em São Tomé e no Príncipe.


A ilha de São Tomé, relativamente à do Príncipe, é maior e de maior altitude, criando mais habitats, e de variados tipos. Isto pode condicionar o número de espécies, na medida em que um maior número de diferentes habitats proporciona a sobrevivência e desenvolvimento de maior número de espécies, já que existe menos competição pelo espaço. Além disso, são criadas condições que permitem o aparecimento de novos e diferentes tipos de plantas (endémicas). Realmente, São Tomé apresenta uma flora mais rica em endemismos em comparação com o Príncipe.

Comentários

Newsletter