FAQ Cogumelos - Perguntas e Respostas sobre Cogumelos

Celeste Santos e Silva e Rogério Louro - Universidade de Évora
Imprimir
Texto A A A

Encontre aqui respostas para algumas perguntas mais frequentes sobre cogumelos e coloque também as suas questões.

 

P: Onde se encontram vulgarmente cogumelos?

R: No solo, podendo também surgir sobre troncos de árvores, lenho caído, dejectos, etc.

 

P: Quanto tempo dura um cogumelo?

R: Depende da espécie de fungo que o produz, pode variar de várias horas a vários dias.

 

P: Porque não encontro cogumelos no Verão?

R: Supondo que vive em Portugal, as condições de temperatura e humidade do solo no Verão não permitem que os cogumelos se desenvolvam.

 

P: Se colher um cogumelo e o plantar no meu jardim terei mais cogumelos no próximo ano?

R: Os cogumelos não se plantam, são apenas a estrutura reprodutora do fungo que o produz. Se o cogumelo tiver esporos maduros é possível que eles germinem e originem micélio do fungo, se as condições forem propícias para tal. Talvez no futuro possa obter novos cogumelos, dependendo de inúmeras variáveis.

 

P: As micorrizas podem aumentar as hipóteses de sobrevivência e crescimento duma planta em solos contaminados por metais pesados?

R: Sim. As associações micorrizicas protegem os hospedeiros (plantas) de ambientes contaminados com metais pesados, conferindo-lhes maior probabilidade de sobrevivência, pois actuam como uma barreira protectora. Diversos fungos que formam micorrizas (ericoides, arbusculares e ectomicorrizas) concentram os metais pesados existentes no solo, fixando-os na sua biomassa extra-matricial, impedindo que sejam absorvidos pelas raízes das plantas. Contudo, distintas espécies de fungos micorrízicos apresentam diferentes graus de tolerância a metais pesados.

 

P: Como distingo cogumelos venenosos de cogumelos não venenosos?

R: Temos de identificar o(s) exemplar(es) para sabermos se são comestíveis. Ou seja, saber a espécie ou grupo de espécies a que pertence o cogumelo é essencial para determinar a sua comestibilidade. Os apanhadores de cogumelos não têm obrigatoriamente conhecimentos taxonómicos, mas identificam claramente os cogumelos que apanham e consomem, atribuindo-lhes nomes vulgares. Não existe nenhum método "à priori" (truque, cheiro, cor, teste, etc.) para determinar a toxicidade de um cogumelo.

 

P: Que organismos produzem os cogumelos ?

R: Os organismos que produzem cogumelos pertencem ao Reino Fungi, maioritariamente às Divisoes Basidiomycota e Ascomycota. Podem também ser designados por macrofungos, pois as suas estruturas reprodutoras (cogumelos) são visíveis a olho nú.

 

P: Podemos encontrar cogumelos de várias espécies consideravelmente perto uns dos outros (numa área pequena) ou eles possuem uma espécie de território em que só se reproduzem cogumelos de uma determinada espécie?

R: Sim. É comum encontrar cogumelos de espécies diferentes situados contiguamente. Por exemplo, várias espécies de fungos micorrízicos associados ao mesmo hospedeiro (espécie vegetal) podem frutificar lado a lado, perto da área de projecção da copa. Outro exemplo, a colonização de troncos e ramos caídos por diversas espécies sapróbias.

 

P: Os esporos dos cogumelos não podem ter "erros" ou mutações genéticas e cruzarem com outros esporos de outras espécies de cogumelos que pelo menos pertençam ao mesmo género?

R: Em primeiro lugar, os esporos não se cruzam entre si. Os esporos produzidos por cogumelos apresentam “erros de transcrição” ou mutações como outras células, dando origem a micélios com essas anomalias, podendo estes ser viáveis ou não. A reprodução sexuada dos fungos é complexa e envolve o reconhecimento de estirpes compatíveis antes da produção de micélios dicarióticos, pelo que dentro da mesma espécie nem todos os micélios se cruzam. À luz dos conhecimentos actuais, será pouco provável que micélios pertencentes a diferentes espécies possam espontaneamente fundir-se e originar micélios viáveis.

 

P: Em Portugal posso encontrar fungos que parasitem insectos? Se sim, onde?

R: Sim. Existem em Portugal diversas espécies de fungos entomopatogénicos. Entre as mais comuns e fáceis de encontrar, destacam-se duas espécies cosmopolitas : Beauveria bassiana e Metharizium anisopliae, ambas isoladas a partir de amostras do solo. A primeira provoca a doença muscardina branca e a segunda a muscardina verde, ambas parasitando diversas espécies de artrópodes, como térmitas, pulgões, moscas, escaravelhos e gafanhotos.

 

P: Os cogumelos que nascem todos os anos envolta do pé de oliveira são comestíveis? Cheiram muito bem.

R: Sem um exemplar ou fotos que ilustrem cabalmente o cogumelo em questão não posso esclarecê-lo, pois existem diversas espécies que poderão crescer nas condições que refere. A
comestibilidade de uma qualquer espécie de cogumelo não pode ser avaliada pelo odor, cor ou aspecto, apenas pela determinação segura da espécie a que pertence, o que neste caso não é possível. Deixo-lhe uma sugestão, consulte a nossa página http://www.projectos.uevora.pt/cogumelo/ e verifique se nas fichas das espécies encontra algum exemplar semelhante ao que observou.

 

 

P: Há pouco tempo tirei umas fotos (ver em baixo) de uma "planta" fora do vulgar que nunca tinha visto e que nasceu no meu jardim no meio da relva, que penso ser um cogumelo. Podem confirmá-lo?

  

  

R: As fotos são de um cogumelo chamado Clathrus ruber (gaiola-de-bruxas). Podes saber mais consultando a página http://www.projectos.uevora.pt/cogumelo/ procurando nas fichas das espécies - cogumelos outras formas.

 

P: Como posso saber mais sobre o que são cogumelos e onde vivem?

R: Consulte a página http://www.projectos.uevora.pt/cogumelo/

Se tiver alguma questão que gostasse de colocar sobre os cogumelos contacte-nos.  

 

 

Leituras Adicionais

 

Os Cogumelos e os seus Venenos

 

Vídeo: Silarca - O Mundo Oculto dos Cogumelos

 

Os Cogumelos do Caldeirão - Diversidade de Fungos Superiores em Sobreiral

 

Comentários

Newsletter